Tumores cerebrais: Benignos X Malignos

Tumor é um termo que indica aumento anormal de um tecido ou de uma região do corpo humano. Pode ser assustador ouvir este nome se associá-lo a câncer intratável e até mesmo a morte antes do previsto. Pode realmente ser uma doença maligna, de difícil manejo, no entanto, em muitos casos pode ser uma doença benigna, tratável e que as vezes apresentam uma história natural indolente que nem mesmo pode precisar de intervenção cirúrgica imediata, alguns casos apenas observação e outros até medicamentos para controle.

Um tumor geralmente se forma a partir de uma célula defeituosa que se multiplica desordenadamente produzindo outras com o mesmo defeito e resultando no aumento do tecido. O tumor benigno, ao contrário do maligno, geralmente cresce lentamente, sem destruir muito os tecidos ao seu redor e normalmente apresentam sintomas apenas quando chegam à grandes dimensões, além disso por definição, não enviam metástases para outros órgãos. Metástases, geralmente, ocorrem quando um tumor invasivo atinge o sangue e as células são transportadas para pontos do corpo distantes do tecido de origem, onde podem crescer e formar outras colônias tumorais.

Um tumor intracraniano é formado por divisões de células anormais que se encontram dentro do sistema nervoso: células ósseas, gliais e meníngeas, neurônios, vasos sanguíneos, nervos cranianos, glândulas e células malignas provenientes de câncer em outros órgãos. O tipo de tumor vai depender do tipo de célula que ele deriva.

Existem, portanto, diversos tipos de tumores intracranianos, cada um com evolução e características própria. Doenças que podem ser desde facilmente curáveis até rapidamente fatais. A consulta com o neurocirurgião é essencial para esclarecer todas as dúvidas, tipos de tratamento e evolução esperada.

Dr. Luiz Venâncio – Neurocirurgião
CRM-MG 50.106

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.